Argentina e Brasil empatam em jogo movimentado: veja as notas

Nesta terça-feira, 16, o Superclássico entre Argentina e Brasil, em San Juan, esquentou a noite de futebol pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. Apesar do Brasil entrar classificado e sem Neymar e a Argentina muito perto da vaga para o Qatar, em 2022, o jogo teve bastante emoção, como uma típica partida entre os dois principais rivais sul-americanos.

Fabinho se destacou anulando o craque Lionel Messi, que apareceu muito pouco no jogo e ficou preso na marcação do jogador do Liverpool. Pelas pontas, o Brasil arriscou as jogadas individuais, paradas com violência pelos adversários. No primeiro tempo o zagueiro Otamendi deu uma cotovelada no rosto de Raphinha, que jogou o restante da etapa inicial com um forte sangramento na boca.

+ Para saber tudo sobre a Seleção, siga o Esporte News Mundo no Twitter, Facebook e Instagram

As chances mais claras foram do Brasil, apenas na parte final do jogo a Argentina pressionou em busca da vitória, mas não conseguiu.

Veja as notas dos jogadores.

Argentina

Emiliano Martínez – 6,5

Não foi muito exigido, mas quando necessário, apareceu muito bem. Estava muito adiantado em uma finalização de Matheus Cunha, mas por outro lado, estava muito bem posicionado em chute de Vini Jr dentro da área.

Molina – 6

Teve a difícil missão de marcar os velozes pontas brasileiros e não se saiu mal, apesar de ter tomado uma carretilha de Vinicius Jr.

Romero – 6,5

Travou bom duelo com Cunha, em que perdeu apenas uma vez. Lesionado, acabou sendo substituído.

Otamendi – 2

A atuação em si não foi tão ruim, mas a agressão a Raphinha, completamente ignorada pela arbitragem em campo e pelo VAR, desqualificiou o zagueiro como atleta. Por isso recebe uma nota abaixo da média, como se tivesse realmente sido expulso aos 25 minutos de jogo em um lance desleal, em uma jogada sem perigo de gol.

Acuña – 6,5

O duelo com Raphinha foi forte também e o argentino esteve seguro.

Paredes – 5

Teve muita dificuldade para sair jogando e foi substituído.

De Paul – 7

Provavelmente o melhor em campo pela Argentina, foi quem mais tentou e até conseguiu criar diante da forte marcação do meio de campo brasileiro.

Lo Celso – 5

Pegou muito pouco na bola e ficou apagado na meia-esquerda.

Messi – 5

Partida dura para o craque, que acabou completamente dominado por Fabinho e Fred.

Di María – 5

Jogou mais recuado, tentando ajudar Messi a desenvolver o jogo, mas assim como o companheiro, acabou dominado pelo meio de campo brasileiro. Ao menos deu um lindo rolinho em Vinicius Jr, para salvar o que seria uma partida sem qualquer destaque.

Lautaro Martínez – 6

Apesar de tocar muito pouco na bola, mostrou sua eficiência toda vez que tentou criar.

Lisandro Martínez – 6

Entrou com a função de segurar um pouco o Brasil e conseguiu. Foi bem na marcação das jogadas pelo meio.

Joaquin Correa – 6

A missão era dar mais movimentação ao ataque da Argentina e foi cumprida, ajudou na pressão da equipe nos minutos finais do jogo.

Pezzella – 5

Não comprometeu e até teve boas ações defensivas, mas foi violento durante a partida.

Dominguez e Alvarez – Sem nota

Brasil

Alisson – 6

Atuação segura do goleiro brasileiro, que acabou não sendo muito exigido, por conta da boa marcação.

Danilo – 6,5

Boa atuação do lateral que vai crescendo com a camisa da Seleção. O jogador que já foi criticado pela marcação, hoje foi participativo na fase defensiva.

Marquinhos – 6,5

Marquinhos já é unanimidade na defesa brasileira e hoje mostrou mais uma vez o motivo. Seguro demais e vai encontrando em Militão uma dupla a altura.

Militão – 6,5

Bem na saída de bola, bem na marcação e com bom tempo para evitar as chegadas da Argentina, pelo alto ou por baixo.

Alex Sandro – 6

Tentou ser o mais ofensivo do setor defensivo da Seleção, mas sem muita eficiência.

Fabinho – 8

Um monstro no meio de campo da Seleção, impediu qualquer ação ofensiva de Lionel Messi. Uma atuação para guardar na memória, como o dia em que, jogando pela Seleção, Fabinho parou Messi.

Fred – 8

Muito bem na marcação, correu o campo inteiro e ainda chutou uma bola que atingiu o travessão de Dibu Martínez. Se Messi não apareceu, uma parte da conta é do Fabinho e a outra é dele.

Paquetá – 5,5

Partida razoável do meio-campista, que mostrou muita intensidade durante todo o tempo em que esteve campo e entregou bom passe para Vinicius Jr. Muito exigido na movimentação, acabou substituído por Gerson na segunda etapa.

Raphinha – 5,5

Apagado no início, tentou ser mais incisivo ao longo do jogo, mas após uma agressão de Otamendi, que acertou uma cotovelada no rosto do brasileiro, não arriscou muito. Acabou substituído por Antony.

Vini Jr 6,5

Um pouco apagado na etapa inicial, voltou para o segundo tempo melhor e mais ousado. Deu uma carretilha linda, em uma jogada que quase gerou o gol para o Brasil. Perdeu uma boa chance em passe de Paquetá e na etapa final outra vez esteve na área com a bola, mas demorou um pouco para finalizar e Dibu Martínez fez a defesa.

Matheus Cunha – 7

Se movimentou muito no ataque, dando opção e de quebra quase marcou um gol histórico em uma finalização do meio de campo. Sem a bola brigou muito e ajudou a atrasar a saída de jogo do adversário.

Antony – 6

Entrou com a missão de botar velocidade no contra-ataque da Seleção, mas acabou um pouco preso na marcação adversária e nos passes curtos que não tiveram sequência. Levou uma pancada sem bola, que iniciou uma pequena confusão.

Gerson – Sem nota

Teve pouco a bola no pé e compôs o meio de campo bem, mas não o fez por tempo o suficiente para receber uma nota.

Gabriel Jesus – Sem nota

Entrou no final, sem muito tempo para se destacar.