Aumento da longevidade movimenta a economia em R$1,6 trilhão

Mercado de cuidados assistenciais ao idoso é tido como um exemplo de crescimento exponencial

A cada ano, aumenta-se mais a longevidade dos brasileiros. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2050, o Brasil terá 30% de sua população com idade acima dos 60 anos. Os números são marcantes ao ponto de sabermos que, nas próximas duas décadas, o percentual de idosos no Brasil, tende a dobrar. Sabendo disso, há uma perspectiva de que a chamada “economia da longevidade” que, hoje, movimenta R$1,6 trilhão por ano no país, e já conta com 54 milhões de consumidores movimentando o mercado, cresça exponencialmente, podendo chegar a 90 milhões no Brasil até 2045, de acordo com projeção do Instituto Locomotiva.

Esse aumento na expectativa de vida, abre espaço para oportunidades de negócio que atendam às necessidades da terceira idade, principalmente na área da saúde, já que, com o envelhecimento natural da população, boa parte dos brasileiros precisarão de cuidados cada vez mais específicos e especiais para uma velhice confortável. Espera-se que, nos próximos anos, haja um aquecimento no mercado de cuidadores de idosos para atender à crescente demanda. Conforme o IBGE, de 2007 a 2017 houve um salto de 5.263 para 34.051 profissionais dessa área, caracterizando um aumento de mais de 500%. Esta transformação já foi sentida pela rede de cuidadores de pessoas Cuidare que, nos últimos dois anos, percebeu um aumento de 50% na procura por seus serviços.

— Osnegócios voltados para atender o público classificado como terceira idade, deixaram de ser uma tendência e já se tornaram uma realidade de forma bastante expressiva. O setor de cuidadores de idosos é um exemplo disso, e tende a ser um negócio seguro e promissor para aqueles que querem empreender — conta o especialista em franquias Cláudio Tieghi, da Kick-Off Consultores.

De olho nesse setor, a enfermeira Izabelly Miranda e o advogado, Etevaldo Miranda Jr., decidiram empreender em 2014, após identificar uma grande dor no mercado: a falta de empresas sérias e comprometidas que oferecessem serviços de cuidados assistenciais com humanização e qualidade. Foi neste contexto que foi criada a Cuidare que, hoje, é uma das maiores redes de franquias de cuidadores de pessoas do país e referência nesta categoria de atendimento de cuidados assistenciais, dispondo de mais de 2.500 cuidadores em mais de 70 unidades espalhadas pelo Brasil.

A marca está em constante aprimoramento de seus métodos e processos, baseando-se nas boas práticas do mercado. Recentemente implantou um software chamado Portal Cuidare, a ferramenta beneficia franqueados, clientes e cuidadores, facilitando a gestão das unidades, o engajamento dos cuidadores e a prestação de contas ao cliente, além de registrar informações importantes. O Portal Cuidare facilita ainda a montagem de escalas, emite relatórios e permite o acompanhamento da evolução dos assistidos.

– Nossa expansão é baseada no olhar do nosso consumidor para a marca. O foco no cliente permite crescermos de forma mais assertiva, buscamos entender as necessidades de nosso público para desenvolvermos nossos serviços que realmente possam impactar positivamente na vida dessas pessoas –  Etevaldo Miranda Jr., CEO da Cuidare.

CONTATO COM O COLUNISTA  [email protected]