Candidato à nova gestão do clube, Walter Monteiro fala: ‘O Flamengo que deu certo foi o Flamengo do profissionalismo’

Na noite da última quarta-feira (1) o Esporte News Mundo entrevistou Walter Monteiro, candidato para a próxima eleição do Flamengo, que acontecerá dia 4 de dezembro. O postulante da Chapa Ouro (Flamengo Maior) foi embaixador do Flamengo em Porto Alegre por oito anos, sendo esse, seu maior cargo até então.

+ Momento de “abraço” entre torcida e jogadores do Flamengo viraliza na internet

O candidato e torcedor falou sobre sua visão do Flamengo de fora dos campos:

–  Nada me faz mais feliz do que ver o Flamengo ganhar, então estamos todos muito satisfeitos com as conquistas do Flamengo. Porém, nós estamos muito insatisfeitos com aquilo que o Flamengo tem sido, que foi nos últimos três anos fora das quatro linhas. Um clube desumano, um clube com muita falta de empatia, um clube insensível, um clube despótico, que tem dificuldade de entender o seu papel na sociedade em geral e com o esporte em particular. […] Eu tenho muita vergonha de dizer que o próximo presidente do Flamengo vai ser eleito com cerca de mil votos. Isso é uma contradição: um clube que tem a maior torcida do Brasil, que tem 42 milhões de torcedores, que se orgulha de ser o maior clube do mundo, ter o seu presidente escolhido pela vontade de mil pessoas. […] Além disso, além dessa tentativa de defender um Flamengo maior, mais aberto, que não renegue a sua matriz popular e um Flamengo que, fundamentalmente, crie mecanismos de incentivo de ampliar o seu quadro social, nós também defendemos com muita ênfase a bandeira do profissionalismo.

Ao ser questionado sobre os primeiros passos que dará em caso de vitória, no próximo sábado, ele afirmou:

– A primeira coisa que eu faria seria a criação do Dia da Memória Rubro-Negra. Eu acho que o Flamengo tem uma dívida histórica com os garotos do Ninho que se foram na tragédia de 8 de fevereiro de 2019. Isso foi uma reivindicação do nosso grupo. Nós encaminhamos um pedido de emenda ao estatuto do Flamengo para que o dia 8 de fevereiro fosse constituído como o Dia da Memória Rubro-Negra. Um dia em que não haveria atividades no clube, não disputaria competições e um dia que serviria para reflexão do que nós fizemos. […] A segunda coisa é encaminhar ao Conselho Deliberativo uma ampla reforma estatutária, que presentará: 1) a evolução do modelo do profissionalismo. Romper de uma vez por todas com o modelo do amadorismo. […] 2) A criação de uma nova modalidade de torcedor, que é a modalidade de associado contribuinte torcedor. Para que o quadro social do Flamengo seja ampliado. […] Essas são as primeiras medidas que eu vou fazer. Além disso, obviamente, dentro da lógica profissional que nós vamos implantar desde o primeiro dia, a nomeação de um executivo geral do futebol, que vai cuidar de todo o departamento e a partir daí planejar a temporada do Flamengo, com a contratação de um novo treinador, remontagem do elenco e todo mais necessário para que o Flamengo dê o salto definitivo para ser um clube de ponta no cenário mundial.

Walter Monteiro também contou sobre os desafios que poderá enfrentar contra a chapa de Rodolfo Landim, uma das mais vitoriosas dos últimos anos:

– O desafio eleitoral é imenso. Ele conquistou um grande capital político através das vitórias que o Flamengo conquistou. Mas como eu tenho repetido, o sucesso esportivo não pode servir de muleta ou de desculpa para a gente fechar os olhos para as coisas erradas que o Flamengo está fazendo. Porque a verdade é que o Flamengo que deu certo foi o Flamengo do profissionalismo. O Flamengo ter ido bem em 2019 e em 2020 não significa que isso vá se reproduzir daqui para frente, até porque o futebol está se sofisticando, os nossos principais rivais estão melhorando e os desafios do próximo triênio serão grandes. A gente precisa de uma dinâmica profissional para seguir competindo. Agora, da dinâmica da gestão os desafios são muito grandes, até para Landim, que vai ter que se comparar com ele próprio. Se seguir nessa batida de aprofundar o amadorismo, de deixar que a gestão esteja nas mãos de palpiteiros, que não é necessário investir em tecnologia, em ciência e na profissionalização de profissionais, a tendencia é de que o Flamengo entre em um declínio esportivo.

+ Walter Monteiro, candidato à presidência do Flamengo, demonstra indignação com a construção do parquinho da Gávea: ‘Um deboche’

Dentre outros assuntos, Walter também comentou sobre a possível construção de um estádio do Flamengo, os preços dos ingressos e sobre sua visão de mudança do elenco atual. Veja tudo no vídeo abaixo.

Siga o ENM no TwitterInstagram Facebook.

A eleição ocorrerá no próximo sábado (4), das 8h às 21h (horário de Brasília), no Ginásio Hélio Maurício, sede social do clube da Gávea. O vencedor será responsável por gerir o Flamengo no próximo triênio, de 2022 a 2024. A chapa de Walter Monteiro é uma das principais oposições da gestão atual, que está concorrendo à reeleição.