Carille reconhece má atuação do Santos e vê o placar com resultado positivo: “eu comemoro muito esse ponto”

O Santos entrou em campo neste sábado (13) pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro contra o Atlético – GO em partida fora de casa. Com desfalques importantes como Marinho, Diego Tardelli e Lucas Braga, o técnico Fábio Carille reconheceu a atuação ruim do elenco e celebrou o ponto conquistado no jogo. “Comemoro muito esse ponto. Foi uma partida que não jogamos bem, temos que estar cientes disso. Há vezes que jogamos melhor e não ganhamos, então temos que comemorar este ponto”, enfatizou o técnico.

Carille ainda explicou que a notícia sobre o desfalque de Marinho chegou pela tarde. O atacante apresentou início de gripe no dia anterior e, após uma piora no quadro, foi vetado pelo DM de jogar a partida contra o Atlético – GO. Segundo o técnico, “ele chegou ontem com o corpo ruim, parecia início de gripe. Treinei com o Ângelo, mas avisando que seria o Marinho. Ele se apresentou muito pior do que ontem para o almoço. Nós e o DM decidimos deixá-lo fora porque não se sentia bem, e poderia ter uma lesão mais grave e não jogar mais na temporada, já que está com a imunidade baixa”, afirmou.

A ausência de Marinho foi sentida em campo. “Ele é um líder e fez gol na última rodada. É um cara muito positivo quando não está bem tecnicamente, pois se destaca na entrega. Sentimos sim a ausência e me pegou de surpresa, porque achávamos que ele poderia melhorar”, confessou o técnico. Ângelo, joia da base santista, substituiu o veterano e cometeu alguns erros em campo. Sobre a atuação do menino da Vila, Fábio Carille buscou compreender a situação:

“Não tivemos entendimento do jogo. No primeiro tempo não era para carregar, era passe, e ele tem essa característica também. Começamos a baixar a cabeça e carregar, isso facilitou a marcação do adversário. Ângelo é uma joia. Ele tentou, ganhou faltas, mas ainda falta maturidade nesses detalhes para ver que não é para carregar. De uma forma geral, o conjunto não funcionou e isso prejudicou a atuação dele também”, analisou o técnico.

Siga o Esporte News Mundo no TWITTERINSTAGRAM e FACEBOOK. E não se esqueça de se inscrever no nosso canal no YOUTUBE!

Na estreia de Matías Lacava, que subiu da base à equipe profissional, o treinador demonstrou interesse em utilizar mais os meninos da vila. “Santos tem algumas joias interessantes, alguns jovens que estão me agradando muito. Como comissão, estamos tendo cuidados para colocar os meninos, saber o momento ideal. Sem Marinho, sem Tardelli e sem Lucas Braga, hoje foi uma necessidade. Ele é um menino de talento, está começando. Tendo pré-temporada, não só ele como Ângelo e outros, vão crescer mais. Faltam 25 dias para acabar a temporada, então teremos cuidado, mas há muitos atletas agradando no dia a dia”, declarou.

Sobre a falta de finalizações do time – foram seis no total, nenhuma direto ao alvo – Carille reconheceu a falta de efetividade da equipe, que coroou a má atuação:

“Tudo passa pela construção. Hoje, não conseguimos trocar passes. Antes de falar em finalização, tem que ter construção e não conseguimos. Fomos dominados e por isso que comemoro demais o ponto numa fase final de competição. Há cinco rodadas estávamos com 29 pontos, e agora fizemos 10 pontos de 15. É um jogo que não temos que esquecer, mas ver o que foi de errado para fazer um jogo de intensidade e qualidade contra a Chapecoense na quarta.”, concluiu.

Em relação ao entrosamento da equipe, Carille analisa a evolução positivamente:

“Logo que recebi a informação de que poderia vir para o Santos, a gente estuda o grupo e onde chegaremos. O Guardiola fala que um time precisa de um ano para entender o técnico, e ele trabalha só com estrelas e em uma equipe que contrata quem quiser. Imagine chegar e trazer ideias no meio de uma competição? Demorou um pouquinho, mas estamos indo na base da conversa, em virtude da intensidade do futebol brasileiro, que não permite que treine forte após os jogos”, constatou o treinador do Peixe.

O técnico, contudo, enfatizou a boa atuação do Santos contra a equipe do RB Bragantino e a busca para essa constância de ataque. “As coisas melhoraram. Contra o Red Bull Bragantino, fizemos 1min40 com a posse de bola no campo do Bragantino, pressionando, insistindo…é tempo. Ali atrás na defesa estamos tendo uma resposta boa, tem jogo que o ataque responde bem. Essa é minha busca: passar mais a bola pelo meio para construirmos mais”, afirmou Carille.

O próximo compromisso do Santos é na quarta-feira (16) contra a Chapecoense, time lanterna do Brasileirão. O confronto acontece na Vila Belmiro, às 19hrs. Com uma vitória, o Peixe se afasta ainda mais do Z4, com nove pontos de vantagem em relação ao Juventude, que abre a zona de rebaixamento.