Com pênalti no último minuto, Ponte Preta perde para o CSA em Maceió; veja as notas

Ponte Preta e CSA se enfrentaram na noite desta quarta-feira (29), no Estádio Rei Pelé, em partida válida pela 27ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Em um duelo marcado por um pênalti nos minutos finais, a Macaca não foi capaz de seguir com sua sequência de vitórias e foi derrotada pelo placar de 2×1, com gols de Rafael Santos e, pelo lado alagoano, Iury e Gabriel. Com o revés, a equipe se manteve com 32 pontos e estacionou na 14ª posição.

PRIMEIRO TEMPO

Os primeiros dez minutos da partida não foram de muitas ações, com as duas equipes ainda se aquecendo e incapazes de produzirem chances ofensivas. Exatamente por esse fator que o gol de inauguração do placar, que partiu dos pés de Rafael Santos, surpreendeu a todos os espectadores. Aproveitando um descuido na marcação do clube alagoano, o lateral-esquerdo foi capaz de conectar uma bomba de fora da área, aos 15 minutos, para dar vantagem ao clube campineiro.

Adotando uma postura cômoda após o gol, a marcação da Macaca se reduziu ao seu campo de defesa, criando espaços e permitindo que o CSA utilizasse de sua criatividade para gerar perigos ao gol de Ivan. Mesmo com a liberdade, a equipe de Mozart não parecia apta a assustar os visitantes, que, por sua vez, recorreram a lançamentos e jogadas individuais para penetrar na defesa adversária. Porém, no minuto 35, a comodidade provou ser inimiga do clube alvinegro, quando Iury aproveitou um rebote de Ivan e, na primeira grande chance do Azulão, estufou a rede.

O empate até mesmo forçou a Ponte Preta a voltar a tomar as iniciativas ofensivas, chegando com perigo, por exemplo, com Moisés aos 44 minutos, em um chute rasteiro que carimbou a trave de Thiago Rodrigues. Mesmo com a pressão tardia, a equipe de Gilson Kleina se dirigiu aos vestiários, no intervalo, com a igualdade no placar.

SEGUNDO TEMPO

Com dificuldade de conter o ímpeto ofensivo de Iury, a Ponte Preta viu sua rede ser estufada mais uma vez pelo ponta esquerda logo na retomada da partida, aos três minutos; porém, para o alívio dos torcedores pontepretanos, o tento foi anulado após revisão do VAR por conta de uma “ajuda” da mão do jogador ao dominar a bola. Tomando gosto pelas aberturas fornecidas pelo clube campineiro, o Azulão passou a rodear a área de Ivan, porém sem exigir o goleiro. O crescimento no volume ofensivo do adversário, apesar de perigoso, se mostrou uma vantagem à Ponte Preta, que pôde aproveitar para executar contra-ataques e surpreender o sistema defensivo alagoano.

Foi através de um contragolpe que, aos 17 minutos, João Veras se encontrou com a posse da bola na área adversária e, ao fugir da marcação, arriscou um chute, mas viu a bola passar rente à trave em direção à linha de fundo. Atento em relação ao crescimento do adversário na partida e impulsionado pelas mudanças feitas pelo comandante, o CSA retomou as rédeas da partida a partir dos 20′, novamente oferecendo perigo à Macaca.

Com o jogo se encaminhando para o apito final, a expectativa de empate parecia cada vez mais confirmada diante da produtividade apresentada por ambos os clubes. Porém, aos 46 minutos, em uma tentativa de bola alçada na área do time alagoano, a redonda escorou no braço de Cleylton, alterando sua trajetória. Após revisão do VAR, aos 51 minutos, o pênalti foi marcado e cobrado com intensidade por Gabriel, que selou o revés da Macaca.

Para saber de tudo da PONTE PRETA, siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram.

NOTAS

Ivan: 7

Felipe Albuquerque: 6,5

Cleylton: 6

Fábio Sanches: 6

Rafael Santos: 7

André Luiz: 6,5

Marcos Júnior: 6,5

Fessin: 6,5

Richard: 6,5

Moisés: 7

João Veras: 6

SUBSTITUIÇÕES

Lucas Cândido: 6,5

Yago: 6

Niltinho: 6,5

Léo Naldi: 6,5

Josiel: 6