Crias do Terrão ganham espaço no profissional do Corinthians em 2021; veja os números

O Corinthians promoveu 13 atletas das categorias de base para o profissional em 2021. Assim, alguns jovens atuaram em exatos dez jogos ou mais no ano, que foi marcado por reformulação e corte de gastos no primeiro semestre, dando mais oportunidades as Crias do Terrão

Logo, certos nomes ainda estão brigando por espaço, enquanto outros se firmaram no time titular, como o zagueiro João Victor. A continuidade da valorização dos garotos é algo que a diretoria do Corinthians tem em mente para a próxima temporada. A ideia é mesclar a experiência dos veteranos com os jovens talentos do clube. 

Os grandes destaques: 

  • João Victor (zagueiro) – 47 jogos – 4.567 minutos 
  • Roni (volante) – 34 jogos – 1.932 minutos – 3 gols 
  • Gabriel Pereira (meia-atacante) – 32 jogos – 1.744 minutos – 2 gols 

Vale dizer, que João Victor foi o grande destaque dentre os garotos. Voltou de empréstimo ao Atlético-GO a pedido do então treinador corintiano, Vagner Mancini. Mesmo com a chegada de Sylvinho, o defensor não perdeu espaço e se manteve em alta. 

Caso não seja negociado na próxima janela de transferências, o atleta tem tudo para manter a dupla da zaga ao lado de Gil. Atrás de João Victor aparece Roni, volante que não foi titular na maior parte da temporada.  

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook

Afinal, sofreu com lesões, mas ainda assim, entrou em campo 34 vezes, e permaneceu como opção importante no banco de reservas do Corinthians. O último destaque foi o meia-atacante Gabriel Pereira.  

No começo do ano não teve muitas oportunidades com Mancini, e demorou a receber com Sylvinho. Porém, após Adson se lesionar, o garoto aproveitou a chance, cresceu de produção e superou até Gustavo Mosquito

Tiveram chances: 

  • Vitinho (meia) – 29 jogos – 1.152 minutos – 1 gol 
  • Adson (meia-atacante) – 23 jogos – 864 minutos – 3 gols 
  • Lucas Piton (lateral-esquerdo) – 21 jogos – 1.753 minutos – 1 gol 
  • Xavier (volante) – 21 jogos – 657 minutos 

O volante Vitinho lidera a lista como outro atleta que recebeu chances no ano. Com contrato renovado até 2024, ele agradou a comissão técnica de Sylvinho e passou a ser usado com regularidade, mas diante dos reforços de peso e uma queda na reta final, acabou ficando para trás com a concorrência. Ele chegou a ter uma sequência de seis jogos como titular. 

Atrás vem Adson com 23 jogos, e que acabou oscilando na temporada. Começou deixando impressão positiva, chegando a marcar dois gols contra o Ceará, mas depois que se machucou contra o Athletico, e demorou para se recuperar, acabou recebendo poucas oportunidades e quando entrou em campo, não conseguiu repetir as boas atuações. 

Lucas Piton e Xavier participaram de 21 jogos cada. O primeiro atua somente quando Fábio Santos está sem condições, seja por desgaste físico ou suspensão. Já o volante possui um grande carinho da torcida, que esperava o ver mais vezes em campo, atuando na sua posição. Contudo, para a comissão técnica ele ainda não está pronto para assumir esse protagonismo, e no banco de reservas ele é preterido por Gabriel Cantillo

Surpresas 

  • Du Queiroz – 15 jogos – 988 minutos 
  • Cauê – 14 jogos – 679 minutos – 2 gols 
  • Raul Gustavo – 13 jogos – 1.247 minutos – 2 gols 

Outros garotos que jogaram em mais de dez jogos foram Du Queiroz, Cauê e Raul Gustavo. O volante terminou a temporada em alta com 15 partidas disputadas. Com personalidade, apareceu atuando fora de posição, substituindo Fagner na lateral-direita e convenceu. Internamente, ele é visto como pronto para assumir a titularidade. Polivalente, joga em todas as posições do meio-campo além de dar suporte ao veterano na posição defensiva. 

Atrás de Du Queiroz aparece Cauê, com 14 partidas. O jovem não teve espaço com Sylvinho, atuou apenas com Mancini no Corinthians. Assim, voltou a categoria Sub-20 após desempenho abaixo do esperado como centroavante. Com 19 anos, é visto ainda como imaturo para o profissional. 

Já o zagueiro apareceu em 13 oportunidades. No começo, Raul Gustavo foi titular ao lado de Gil, mas perdeu a posição depois de falhar e João Victor despontar. Porém, é primeira opção no banco de reservas. 

Pouco utilizados: 

  • Marquinhos (atacante) – 10 jogos 
  • Rodrigo Varanda (atacante) – 10 jogos – 1 gol 
  • Felipe Augusto (atacante) – 5 jogos 
  • Matheus Donelli (goleiro) – 5 jogos 
  • Antony (atacante) – 3 jogos 
  • Gustavo Mantuan (meia-atacante) – 3 jogos 
  • Léo Santos (zagueiro) – 3 jogos 
  • Luis Mandaca (volante) – 3 jogos – 1 gol 
  • Matheus Araújo (meia) – 1 jogo 

 
Por fim, outros nove jogadores da base foram utilizados no profissional, mas poucos vão continuar no time principal na próxima temporada. Dessa lista acima, apenas o goleiro Matheus Donelli, atualmente reserva imediato de Cássio, e o meia Gustavo Mantuan tiveram algum destaque e seguem na equipe de cima. 

A grande decepção dentre os mais jovens fica com Marquinhos, o atacante retornou de empréstimo do Sport a pedido de Sylvinho. Foram dez partidas e nenhuma grande atuação. Terminou a temporada encostado no time. 

Outro nome com expectativa e que não vingou foi Rodrigo Varanda, que teve o mesmo número de jogos de Marquinhos. No começo do ano foi titular com Mancini e chegou a marcar no Derby, mas não teve sequência de boas atuações e acabou deixando de ser até mesmo relacionado para as partidas. No final, acabou sendo emprestado pelo Corinthians ao São Bernardo, após negociação frustrada com o RB Bragantino