Diogo Giacomini analisa empate entre América-MG x Bahia e fala sobre volta de Zárate

O América-MG teve novo comando na partida de hoje contra o Bahia pelo Campeonato Brasileiro. Diogo Gioacomini, auxiliar contratado pelo clube comandou a equipe após a saída forçada de Vagner Mancini. Em seu primeiro jogo pelo Coelho, o time empatou por 1 a 1 contra o tricolor baiano. O treinador analisou essa partida, falando sobre as dificuldades físicas que o plantel enfrentou na semana.

+Patric valoriza empate do América-MG diante do Bahia: ‘Um ponto também é importante’

Além disso, o “novo” comandante também falou sobre a perspectiva de uma possível volta de Mauro Zárate, atleta que desde que estreou vem trazendo bons resultados ao Deca.
Leia a coletiva:


COMO VOCÊ ANALISA A PARTIDA DE HOJE?

– Eu penso que a equipe hoje tinha um jogo muito difícil pela frente. Um adversário que jogou na terça-feira em casa, que fez apenas um deslocamento de uma hora e pouco para Belo Horizonte. Nós vínhamos de uma semana muito pesada fisicamente, sabíamos que os dois jogos no sul e a viagem de retorno, viagem de madrugada, os atletas não dormiram na quinta-feira e com a apenas um treino na sexta, com um dia de recuperação, seria muito difícil nos mantermos nossa capacidade física da forma que vínhamos atuando nos outros jogos. Por isso nós sabíamos que era perigosíssimo esse jogo nesse sentido. E eu acredito que no final das contas o empate manteve o Bahia distante do América, nós ganhamos do Bahia no primeiro turno e acabamos fazendo quatro pontos no confronto direto.- comentou Diogo.

+Atuações ENM: Cavichioli salva, ataque é ineficaz e América-MG empata sem gols

O AMÉRICA TEVE DIFICULDADES PARA CRIAR ALÉM DO NORMAL?

– Eu penso que são dificuldades do jogo. O Bahia é uma equipe está no terceiro jogo com o Guto. Se portou de uma maneira a negar os espaços pro America, com isso nos tivemos que rodar a bola com mais paciência, tivemos que achar o jogo entre linhas pra poder atacar melhor a profundidade e criar chances. Mas não vi um erro exacerbado de passe. Na verdade vi um jogo que as duas equipes tiveram oportunidades de contrataque e perderam.

O TIME SENTIU A FALTA DOS JOGADORES QUE FORAM DESFALQUE?

Obviamente que o Zarate, pela função que ele exerce na equipe, de um jogador que joga na entrelinhas, que arma a equipe e que tem muito passe de qualidade, tanto pela profundidade pelo lado, quanto pra achar jogo de associação por dentro também. Um jogador com esse refino técnico faz falta, assim como Ribamar, um jogador de pivô, com uma zaga alta e pesada como a do Bahia, com Luiz Otávio e com Conti, que jogam muito no corpo, seria importante também termos como opção.

+Em confronto direto, América-MG e Bahia apenas empatam no Independência

COMO FOI O PROCESSO DE RECUPERAÇÃO MENTAL DA EQUIPE APÓS O BAQUE?

– O grupo do América sempre esteve unido. Desde quando eu cheguei ao América eu percebi que o time é uma família, são grandes jogadores, grandes homens. O trabalho de recuperação já se iniciou com a conversa do Salum com o grupo, a comissão técnica também conversou. Sentimos os jogadores muito confiantes pra esse jogo, com muita vontade de vencer. Eu vi isso em campo também.

ZÁRATE ESTARÁ DISPONÍVEL PARA A PARTIDA CONTRA O SANTOS?

– O Zarate teve uma lesão muscular. Ele já está em fase final de recuperação. É um atleta que provavelmente na segunda-feira comece a fazer trabalhos de transição com a preparação física pra poder observar a reação dele pra poder ver se vai ser liberado pros trabalhos de campo. Progredindo bem nesse trabalho, há sim a possibilidade dele ficar disponível pro jogo contra o Santos. Precisamos iniciar esse trabalho.