Em meio a incertezas, técnico interino do Vasco explica criticados em escalação: ‘Opção pela equipe mais forte possível’

O empate em 2 a 2 com o Vila Nova, na última segunda-feira, foi mais um capítulo do melancólico fim de temporada do Vasco em 2021. O time começou perdendo a partida, conseguiu a virada, mas acabou levando o empate no lance seguinte ao seu segundo gol. O técnico interino Fabio Cortez, admitiu as dificuldades de escalar o time em meio a um ambiente de incertezas.

– É complicado, você mesmo deu essa informação que temos 15 atletas em final de contrato. Eu não tenho como poupar 15 atletas. Fizemos a opção pela equipe mais forte possível para terminar a competição da melhor forma possível, tentando sempre oportunizar os meninos. Sobre reconstrução e reformulação, isso fica a cargo da diretoria. Isso foge da minha alcançada. Preciso treinar e escalar o time com as peças que tenho em mãos – admitiu Cortez.

Na última semana o Vasco demitiu o diretor executivo de futebol, Alexandre Pássaro e o técnico Fernando Diniz, após o objetivo de voltar a Série A não ter se concretizado. Cortez assumiu a equipe apenas pelos compromissos finais da Série B.

A chegada de novos jogadores, no entanto, vai depender dos integrantes que vão compor a alta cúpula do futebol vascaíno. Em reformulação, o Cruz-Maltino deve ter um homem forte à frente desse departamentpo.