Irmãos advogados, da torcida do Athletico serão indiciados por racismo após atos na final da Copa do Brasil

A Polícia Civil do Paraná decidiu indiciar por racismo dois torcedores do Athletico que foram flagrados fazendo gestos racistas e preconceituosos, durante a final da Copa do Brasil no mês passado. A informação foi divulgada inicialmente pelo jornal O Globo. No dia 21 de dezembro, com a ajuda do Athletico, a Polícia identificou os dois irmãos, que são advogados e moram na cidade de Londrina, no Paraná.

A dupla envolvida no caso de racismo, não tiveram os nomes revelados, e foram identificados pelo próprio Athletico, em colaboração com as investigações conduzidas em Curitiba. Os dois serão ouvidos nos próximos dias em Londrina mesmo. Segundo a reportagem, os depoimentos dos torcedores estavam previstos para ocorrer apenas em 2022, já que um dos advogados aproveitou o recesso do Judiciário e viajou a outro estado.

Para saber tudo sobre o Athletico, siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram.

Os dois torcedores foram gravados pela jornalista Bianca Molina, da Rede Bandeirantes. Ambos são brancos e foram gravados fazendo gestos referenciando à cor da pele em direção a torcida do Atlético-MG durante a partida. O responsável pelo caso, delegado Luiz Carlos Oliveira, falou sobre a denuncia de racismo na reportagem do Globo.

– As imagens falam por si. As testemunhas relatam o que todo mundo vê, os atos racistas que eles (torcedores) cometem em referência à torcida adversária. Se fosse dirigida diretamente a uma pessoa, seria injúria racial. Quando é dentro da coletividade, o crime é racismo.