Jon Gruden pede demissão dos Raiders após vazamento de emails homofóbicos e racistas

A polêmica envolvendo Jon Gruden, técnico dos Las Vegas Raiders, teve um fim nesta segunda-feira, 11. De acordo com a imprensa estadunidense, o treinador pediu demissão após investigação em que emails enviados por ele com conteúdo racista vieram a publico. No entanto, uma matéria do The New York Times desta segunda-feira, 11, confirmou mais detalhes do caso e que envolvem mais preconceitos com outras minorias como LGBTQIA+ e misoginia.

Recentemente, um email de 2011 de Gruden já havia vazado com falas racistas. Na ocasião, o treinador se defendeu e mencionou que não tinha “uma lâmina de racismo nele”. O problema é que a uma nova leva de mensagens do treinador que influenciam diretamente no andamento da liga surgiram com cunho misógino diante de árbitras mulheres, contra protestos racistas dos jogadores e contra draftar atletas gays.

Quer ficar por dentro de tudo dos esportes americanos? Siga o Podcast Timeout no Spotify!

Os emails de Jon Gruden foram enviados para Bruce Allen, ex-presidente do Washington Football Team, que na época era analista dos jogos de segunda-feira à noite da ESPN estadunidense. No conteúdo enviado pelo treinador, críticas ao comissário da NFL, Roger Goodell, xingamentos de “bicha” e um “gatinho anti-futebol” foram citados. Na ocasião, Gruden estava irritado com o dirigente por não pressionar o então treinador dos Rams, Jeff Fischer, por ter escolhido “bichas”, em referência à Michael Sam, kicker selecionado por Los Angeles.

Foram uma sequência de mensagens trocadas com críticas de Gruden à proprietários de times da NFL, jornalistas, dirigentes e à Goodell. Durante sete anos, o treinador praticou preconceitos com várias pessoas importantes e envolvidas da NFL, inclusive com o diretor executivo da Associação de Jogadores da liga, DeMaurice Smith, no qual fez citações racistas em relação a inteligência do dirigente.

As declarações de Jon Gruden vão de encontro em um tempo totalmente diferente que a NFL se encontra. Protesto de jogadores contra o racismo e a violência contra negros, atletas se assumindo como homossexuais, como Carl Nassib, dos Raiders, e uma maior inclusão de árbitras mulheres vem sendo constantemente vistas na liga como mudanças essenciais de acordo com a evolução da sociedade.

Em pronunciamento, Jon Gruden pediu desculpas pelas suas ações e disse “que nunca quis machucar ninguém”. Em paralelo a isso, o proprietário dos Raiders, Mark Davis, confirmou que aceita o pedido de demissão do treinador. Com a saída do antigo técnico, Deuce Gruden, filho de Jon, segue na comissão técnica e o assistente Rich Bisaccia assume momentaneamente com novo head coach.