Luciano sofre seu maior jejum de gols com a camisa do São Paulo

O atacante Luciano não vive grande fase vestindo a camisa do Tricolor. Vice-artilheiro do clube no ano passado, atualmente o camisa 11 vive o maior jejum de gols da sua passagem pelo São Paulo. Confira as maiores secas da carreira do jogador!

Dez jogos sem balançar as redes. Este é o panorama de Luciano atuando pelo Tricolor Paulista em 2021. O jejum atual é um dos maiores da carreira do atacante, ao lado da sua última temporada pelo rival Corinthians, quando ficou 18 jogos sem marcar, entre fevereiro e junho de 2016.

O ÚLTIMO GOL

Luciano soma 10 partidas sem gols pelo São Paulo
Luciano comemorando seu gol na vitória sobre o Atlético-GO, em 19/09/2021. Foto: Rubens Chiri/SãoPauloFC

A última vez que Luciano balançou as redes pelo São Paulo foi em setembro, há dois meses, na vitória por 2 a 1 sobre o Atlético-GO, em partida da 21ª rodada do Brasileirão. De lá para cá, dez jogos como titular e nada de gols.

Vale ressaltar, também, que durante o período de jejum o atacante desperdiçou cinco grandes oportunidades, segundo estatísticas do SofaScore. Além disso, sequer finalizou ao gol nas últimas três rodadas, diante de Internacional, Bahia e Fortaleza.

+ Para saber tudo sobre o São Paulo, siga o Esporte News Mundo no Twitter, Facebook e Instagram

MAIORES JEJUNS DA CARREIRA DE LUCIANO

– Corinthians – 18 jogos (de fevereiro a junho de 2016);

– Corinthians – 18 jogos (de março a agosto de 2014);

– Leganés (ESP) – 17 jogos (de setembro 2016 a abril 2017);

– Avaí – 12 jogos (de setembro a novembro de 2013);

São Paulo – 10 jogos (de setembro até novembro de 2020);

– Panathinaikos (GRE) – 10 jogos (de junho de 2017 a abril de 2018).

ATAQUE DO SÃO PAULO EM BAIXA

Foi no São Paulo que Luciano teve o melhor desempenho da carreira, quando marcou 21 gols no ano passado, se sagrando vice-artilheiro da equipe que quase conquistou o Campeonato Brasileiro. Em 2020, por exemplo, a maior seca do atacante durou somente seis jogos.

Na atual temporada a realidade é diferente e o atacante marcou apenas sete vezes em 36 partidas. Entretanto, o problema do ataque são-paulino não está restrito ao camisa 11. No Brasileirão, o time ocupa o posto de segundo pior ataque da competição, com 24 gols anotados, à frente apenas do Sport, que tem 19.

Pablo, que não marca desde agosto, ainda é o artilheiro do ano, com 13 gols, seguido por Rigoni, que chegou na metade da temporada, com 11. Fechando o pódio, Gabriel Sara soma oito tentos e Luciano, mesmo com o jejum é o quarto, com sete.