Luxemburgo joga toalha sobre acesso do Cruzeiro e planeja 2022 ‘totalmente diferente deste ano’

Após o empate, em1 a 1, entre Cruzeiro e Vila Nova, na Arena Independência, nesta segunda-feira (1), Vanderlei Luxemburgo, atual técnico da Raposa, concedeu entrevista coletiva. O professor, além de analisar os problemas encontrados pelo clube no jogo, como a forte chuva e o gramado encharcado, falou também sobre a sua permanência na temporada seguinte e jogou a toalha sobre o acesso, já pensando no planejamento para 2022. 

Para Luxemburgo, os grandes culpados pelo Cruzeiro não conseguir o acesso foram os resultados que o time alcançou em jogos considerados como decisivos na Série B celeste. Além disso, declarou “ser obrigação” do elenco e comissão técnica manter o clube na segunda divisão nacional. Ainda restam 15 pontos em disputa. 

– Cheguei aqui com a expectativa de poder brigar. Brigamos e chegamos próximo, mas os jogos decisivos que devíamos jogar para encostar na parte de cima, não chegamos. Agora, o pessoal de baixo encostou e temos uma pontuação que falta cinco jogos para a gente adquirir quatro ou cinco pontos para garantir o time na segunda divisão.  Estamos com uma pontuação que só depende de nós para manter o time na segunda divisão. O torcedor tem que entender que esse é o trabalho que está sendo feito. Manter o time na segunda divisão é uma obrigação nossa. 

Sobre sua permanência na Toca da Raposa para a próxima temporada, Vanderlei Luxemburgo reforçou a vontade de ficar no Cruzeiro. Mas, afirmou que a decisão está nas mãos do clube. Ainda, aproveitou para destacar qual deve ser o planejamento para que, na próxima temporada, a Raposa alcance o tão sonhado acesso à elite nacional. 

– O meu futuro está, acho que dei diversas declarações… eu quero estar no Cruzeiro para ajudar o Cruzeiro ir para a primeira divisão. Esse ano não dá mais, vai ser ano que vem. E se eu tenho essa expectativa, eu quero estar aqui no ano que vem. Mas não depende só de mim, depende do pessoal do Cruzeiro entender que temos que fazer o planejamento para o ano que vem totalmente diferente do que foi feito nessa temporada. Se eu continuar no Cruzeiro na próxima temporada, vamos fazer coisas que não foram feiras para esta temporada. E é isso que vamos discutir para que eu possa estar aqui, eu quero ficar, mas depende do Cruzeiro.  

A PARTIDA… 

Sobre a partida especificamente, Luxemburgo fez críticas a arbitragem e também comentou sobre a condição do gramado e o quanto ela interferiu no futebol da equipe.  

– Nada contra, eles fazem o que tem que fazer, quem tem que proibir é o juiz. Eu, antes de começar o jogo, falei para o árbitro: ‘todos os times que estão vindo aqui, começam a ganhar tempo já no primeiro tempo, caindo goleiro, caindo zagueiro, demorando a bater falta’ e eu fui falando. No final do jogo, ele falou que não aconteceu nada demais. Quer dizer, para eles, nunca acontece nada demais. Eu falei com ele: posso fazer uma gentileza, você vai ser técnico e eu o árbitro, e aí você fica de fora vendo se essa maneira como adversário age não vai te irritar. E claro que a condição do gramado prejudicou bastante, eles quase conseguiram fazer um gol com aquele campo encharcado, o Fábio fez uma grande defesa. Aliás, foi a única defesa que ele fez no jogo também. Uma coisa que lamentei é que perdemos muito a segunda bola, que é fundamental para começado as jogadas. Mas, a equipe suportou, claro que queríamos ganhar, mas a equipe do Vila Nova é bem superior ao do Remo. Temos que lamentar a derrota para o Remo. O caminho vai ser doído, vai ser sofrido, mas vamos continuar. 

Com o resultado, o Cruzeiro, de Luxemburgo, chegou aos 40 pontos, se mantendo em 14º lugar. Até o fim da rodada, porém, isso pode mudar. Inclusive, caso Goiás e Avaí vençam, a Raposa terá suas chances de acesso zeradas. Atualmente, o time mineiro está a apenas cinco da zona de rebaixamento.  

Para saber tudo sobre o Cruzeiro, siga o Esporte News Mundo no Twitter, Instagram e Facebook