Merck busca conquistar título do Guinness com maior número de testes online para pré-diabetes

Merck busca conquistar título do Guinness com maior número de testes online para pré-diabetesCom intuito de aumentar a conscientização sobre o pré-diabetes – condição que pode indicar grande probabilidade do desenvolvimento de diabetes tipo 2 no futuro –, a Merck, líder em ciência e tecnologia, promove ampla campanha na América Latina, alertando a população sobre a importância de manter os cuidados com a saúde.

“A pandemia trouxe diversos impactos na saúde dos indivíduos de forma geral, especialmente na América Latina. Após longos meses em casa, muitos mudaram os hábitos, mas nem todos necessariamente para melhor. Dessa forma, mais do que nunca, se faz necessário um alerta geral a respeito da importância de voltarmos aos cuidados de rotina, check-ups e tudo aquilo que sabemos que pode prevenir doenças, como o pré-diabetes, como ter uma alimentação adequada e praticar atividades físicas”, explica Dr. Augusto Grinspan, médico e vice-presidente médico da Merck para América Latina.

O diabetes é uma doença crônica na qual o corpo não produz insulina ou não consegue utilizar adequadamente a insulina que produz. Já o termo pré-diabetes é usado quando os níveis de glicose no sangue estão mais altos do que o normal, mas ainda não altos o suficiente para um diagnóstico de diabetes.1

Pensando nisso, a companhia alemã decidiu realizar uma grande mobilização por meio das redes e se uniu ao GUINNESS WORLD RECORDS para propor um recorde a ser estabelecido – 10 mil pessoas testadas para o risco de pré-diabetes na América Latina. A campanha coloca à disposição uma ferramenta de teste online, por meio das redes sociais, que permite aos interessados conhecer o risco de desenvolver o pré-diabetes – condição que pode ser imperceptível, pois não apresenta sintomas, mas que merece atenção, já que está relacionada a um aumento do risco de doenças cardiovasculares.

Após algumas perguntas básicas, a plataforma avalia os fatores de risco dessa condição, como sobrepeso e obesidade; histórico familiar; histórico de diabetes gestacional; sedentarismo e hipertensão2, e informa se a pessoa apresenta risco baixolevemente elevadomoderadoalto muito alto de ter a condição.

Segundo estimativas da Federação Internacional do Diabetes (IDF), ao menos 31 milhões de pessoas na América Latina estão diagnosticadas com o diabetes tipo 2. 3

Campanha nas redes visa aumentar conscientização e número de testados

A fim de impactar um grande número de pessoas na América Latina, entre os dias 25 a 1º de novembro, a campanha contará com ações nas redes sociais sob o mote “Um Recorde pela Saúde”, www.umrecordepelasaude.com , disseminando informações importantes sobre os cuidados e a patologia a diferentes audiências, aumentando o número de testes e, o mais importante, a conscientização da condição.

“Estamos todos juntos nessa mobilização com o objetivo de impactarmos o maior número de pessoas possível e, com isso, alertar a população sobre o potencial risco de ter pré-diabetes ou mesmo diabetes tipo 2, que é uma doença que pode trazer sérias complicações”, afirma o doutor. “O pré-diabetes é uma espécie de alerta que o corpo nos dá para que possamos agir e evitarmos que a doença evolua”, complementa.

De acordo com ele, quem fizer o teste também receberá orientações sobre mudanças no estilo de vida, incluindo alimentação saudável e exercícios, já que, no caso do pré-diabetes, esses hábitos são essenciais para a prevenção. O especialista alerta que, após obter o resultado do teste, “é imprescindível consultar seu médico que poderá confirmar ou descartar a suspeita de risco de ter pré-diabetes, e, então, indicar a conduta a seguir, que pode ser desde simples mudanças no estilo de vida até iniciar um tratamento medicamentoso”.

Sem tratamento adequado, cerca de 25% das pessoas diagnosticadas com pré-diabetes progredirá para diabetes tipo 2 no período de 3 a 5 anos, e até 70% dos indivíduos com pré-diabetes desenvolverão diabetes ao longo da vida5.

“É urgente que possamos aumentar a conscientização dessa condição que não é uma pré-doença, mas sim um estágio em que ainda podemos auxiliar os pacientes”, conclui o doutor.

Referências

  1. Sociedade Brasileira de Diabetes:https://diabetes.org.br/(Acesso em set. 2021)
  2. Mayo Clinic. Prediabetes. 2020. Available at:https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/prediabetes/symptoms-causes/syc-20355278(Acesso em set. 2021)
  3. International Diabetes Federation. IDF Diabetes Atlas, 9th edn. Brussels,

Belgium: 2019. Available at: https://www.diabetesatlas.orgSBD (Acesso em out. 2021)

  1. IDF Diabetes Atlas 2019:https://www.diabetesatlas.org/upload/resources/material/20200302_133351_IDFATLAS9e-final-web.pdf

5 – Camila Furtado de Souza, Jorge Luiz Gross, Fernando Gerchman, Piglet CB: pre-diabetes: diagnosis, evaluation and treatment of chronic complications. Arq Bras Endocrinol Metab 2012, 56.

[email protected]