Opinião: Grêmio precisa usar mais a base em 2022

O Grêmio teve diversos jogadores importantes provenientes da base nestes últimos anos, Éverton, Matheus Henrique, Léo Chú e Pepê são exemplos de atletas que subiram para o profissional e tiveram grande importância ao decidir jogos em Copas e clássicos estaduais.

Na última temporada, entretanto, o Grêmio utilizou os guris apenas em momentos críticos, quando não havia mais opções, ou seja, não deu chances para os atletas desenvolverem seu futebol com tempo e se ambientarem com o grupo de jogadores.

O Maior exemplo deste argumento é a dupla de goleiros, Brenno e G. Grando, que só teve oportunidade de atuar em um momento ruim após os arqueiros titulares deixarem o clube (Paulo Victor e Vanderlei). Assim como Jhonata Robert, que entrou depois de confirmada a incapacidade de Alisson na ponta-direita.

Para saber tudo sobre o Grêmio, siga o Esporte News Mundo no Twitter, Instagram e Facebook.

Apesar de Bobsin, Sarará, Elias, Pedro Lucas e Fernando Henrique terem jogado algumas partidas, eles não tiveram uma continuidade de trabalho na temporada 2021, entraram em alguns jogos avulsos para substituir jogadores lesionados ou suspensos por cartão.

Por isso, o Grêmio precisa utilizar a base de maneira mais efetiva em 2022, na Série B, pois os jogadores são o futuro do clube, custam pouco e tem qualidade para mostrar na segunda divisão. Elias tem muito futebol para mostrar e a competição pode ser utilizada como um termômetro para saber se o atleta ficará ou não no tricolor.