Projeto de estímulo à leitura percorrerá dez cidades no Paraná

Projeto cultural vai estimular crianças e adultos a frequentar bibliotecas de escolas públicas e incentivar o hábito da leitura
Projeto cultural vai estimular crianças e adultos a frequentar bibliotecas de escolas públicas e incentivar o hábito da leitura

O projeto cultural gratuito Minha Biblioteca Viva vai percorrer dez municípios paranaenses entre os meses de maio e outubro deste ano. A intenção é incentivar a leitura, revitalizar as bibliotecas de escolas públicas e democratizar o conhecimento.

A caravana visitará Faxinal, Carlópolis, Tibagi, Carambeí, Bituruna, Chopinzinho, Cerro Azul, Inácio Martins, Cândido de Abreu e São João do Triunfo – todas cidades com menos de 20 mil habitantes; justamente para facilitar o acesso aos livros e ao universo literário nessas localidades. A primeira ação acontece em São João do Triunfo nos dias 4, 5 e 6 de maio, nas escolas selecionadas pela Secretaria de Educação do município.

“Uma equipe de três profissionais – formada por bibliotecária, mediador de leitura e contadora de histórias – visitará os municípios e permanecerá no local por 3 ou 4 dias, realizando diferentes ações com os estudantes, professores e coordenadores. Em seguida, o trio se desloca para outra região, seguindo uma escala mensal”, explica o idealizador do projeto, Cristiano Nagel.

Extensa programação

Serão muitas atividades culturais ao longo de 2022. A programação engloba 20 oficinas de Gestão de Acervo e Revitalização de Bibliotecas Escolares, 20 oficinas de Mediação de Leitura, 100 Rodas de Leitura e 100 Contações de Histórias.

Também haverá a doação de mil livros de literatura infantil [100 por cidade], 2 mil ecobags com a logomarca do projeto (200 por cidade) para que os alunos carreguem as obras emprestadas da biblioteca, criem o hábito e adquiram o prazer da leitura.

Espaço democrático e de conhecimento

As oficinas de Gestão de Acervo e Revitalização de Bibliotecas Escolares terão 9 horas de duração e 40 vagas disponíveis por cidade, divididos em dois encontros.

Os trabalhos serão coordenados por Andressa dos Santos [formada em biblioteconomia], Cristiano Nagel e Lilyan de Souza. Eles vão abordar ações para torná-la viva – tais como clube de livros, contações, mediações de leitura – as formas de dinamizar o acervo, escolha de repertórios, organização de espaço com o volume de livros, higienização, conservação e métodos de empréstimo. Ao mesmo tempo, vão estimular a leitura, a discussão, a socialização, o uso da biblioteca, o espaço a ser explorado e o aprendizado que pode ser alcançado nesse ambiente.

As aulas serão destinadas a professores, agentes de leitura e responsáveis por bibliotecas públicas e municipais. “A meta é destacar a importância destes profissionais e sua integração como parte dinâmica de ações educacionais, sociais e culturais para transformar a biblioteca em um espaço democrático e de conhecimento”, destaca Lilyan.

A voz na leitura

Quem quiser desenvolver as capacidades poéticas a partir da “voz do texto” ou das narrativas orais vai se deliciar com as oficinas de leitura em voz alta, Estéticas da Enunciação.

A ministrante Lilyan de Souza – que é jornalista, educadora, atriz e escritora – trará reflexões sobre os estudos teóricos da performance, da leitura, da voz e do teatro para explorar esses conceitos de forma prática.

Ela também vai mostrar como uma abordagem performativa – centrada na potencialização dos elementos sonoros presentes nos textos literários – pode auxiliar no trabalho de incentivo à leitura e na expansão da narrativa pela voz, para além do corpo.

Essa atividade será destinada a jovens – a partir de 16 anos – e adultos, terá duração de 3 horas e haverá 40 vagas disponíveis por cidade. Os interessados devem entrar em contato com a Secretaria de Educação de cada cidade e agendar a participação.

Contato com o livro

O idealizador do projeto também será o responsável pela oficina de Mediação de Leitura de Literatura Infantil.

Cristiano Nagel – que é ator, escritor, mediador de leituras, contador de histórias, especialista em Narrativas Visuais pela UTFPR e produtor cultural – terá como foco a busca de um repertório de textos infantis para que os pequenos tenham o contato com o livro, desfrutem as belezas dos contos de fadas tradicionais, até suas releituras.

Os vínculos afetivos terão especial atenção nesta atividade, pois eles ajudam no prazer literário. “Pelo olhar se estabelece o diálogo com as crianças e elas são capazes de fazer muitas análises. Elas expressam sua atenção e interesse pelo movimento, brincadeiras e comentários. O jeito como nos relacionamos com os pequenos e com os livros pode ser determinante na formação delas, enquanto sujeito leitor”, explica Nagel.

Essa atividade tem duração de 3 horas e haverá 40 vagas disponíveis por cidade. Os interessados devem entrar em contato com a Secretaria Educação de cada cidade e agendar a participação.

Prática do letramento

A Roda de Leitura é outra atividade do Minha Biblioteca Viva. Essa ação é uma prática pedagógica e cultural relacionada ao ato de ler conjuntamente, muito utilizada com leitores em formação (crianças de séries iniciais do ensino fundamental). O objetivo é a desmistificação da leitura como algo obrigatório, mostrando que ela é prazerosa e acessível. A principal função do mediador é a de servir de ponte entre o texto e o leitor.

As turmas do projeto serão compostas por até 35 participantes, que vão receber cópia do texto para acompanhar o mediador. O encontro também ajuda as crianças a conhecer outras pessoas e histórias, permite que se expressem, falem de si e ouçam o outro.

“Com todas essas ações queremos resgatar o hábito de visitar e frequentar as bibliotecas escolares. Esses espaços são muito ricos em conhecimento, mas foram deixados de lado ultimamente. Também pretendemos estimular o prazer da leitura e contribuir para que as crianças se aproximem dos livros e do ambiente cultural desde cedo”, finaliza Cristiano Nagel.

O projeto Minha Biblioteca Viva foi aprovado no Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura (Profice) da Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura do Governo do Paraná e tem apoio da Companhia Paranaense de Energia (Copel). Todas as oficinas são gratuitas e os agendamentos devem ser feitos com a Secretaria Municipal de Educação de cada cidade.

Serviço

O que: Projeto cultural Minha Biblioteca Viva

Quando: De maio a outubro de 2022

Onde: Nas cidades de Faxinal, Carlópolis, Tibagi, Carambeí, Bituruna, Chopinzinho, Cerro Azul, Inácio Martins, Cândido de Abreu e São João do Triunfo

Quanto: Gratuito

O que o projeto contempla: 20 oficinas de Gestão de Acervo e Revitalização de Bibliotecas Escolares, 20 oficinas de Mediação de Leitura, 100 Rodas de Leitura e 100 Contações de Histórias.

Haverá doação de mil livros de literatura infantil [100 por cidade] e 2 mil ecobags (200 por cidade) para que os alunos carreguem as obras emprestadas da biblioteca, criem o hábito e adquiram o prazer da leitura.