Realidade do diagnóstico e tratamento da apneia do sono no sistema único de saúde (SUS)

Especialistas apresentam projeto com o maior levantamento situacional de acesso ao diagnóstico e tratamento adequado dos pacientes no SUS

Realidade do diagnóstico e tratamento da apneia do sono no sistema único de saúde (SUS)

Os resultados preliminares do Projeto Hermes Brasil*, um estudo que tem por objetivo identificar  a disponibilidade de recursos para o diagnóstico e tratamento da apneia do sono no Sistema Único de Saúde, foram apresentados no Congresso Brasileiro do Sono 2021, que acontece até quarta-feira (15), no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo.

De acordo com os primeiros resultados do projeto, que está na fase situacional, existem cerca de 36 centros distribuídos no Brasil que fazem algum tipo de diagnóstico e/ou tratamento da apneia do sono pelo SUS (ver MAPA abaixo). Esta distribuição nas diferentes regiões do País não é igual, sendo que alguns Estados não possuem serviços estruturados para atendimento destes pacientes pelo SUS.

O Dr. Luciano Drager, um dos coordenadores do Estudo HERMES, e atual vice-presidente da Associação Brasileira de Medicina do Sono (ABMS), destaca ainda alguns dados relevantes: “Mesmo nos centros onde existe atendimento no SUS para os pacientes com apneia, existe uma fila de espera para fazer o exame do sono (a polissonografia) e mais uma fila de espera para iniciar o tratamento. Aproximadamente, esta espera é de 1 ano, sendo que algumas regiões do País isto pode ser ainda maior.” Segundo o Dr. Luciano, existem diferenças significantes quando se considera a região do País avaliada, tanto na quantidade de recursos disponíveis quanto com relação ao time de profissionais da saúde envolvidos com este diagnóstico e o tratamento apropriado.“Nosso principal objetivo é concluirmos o primeiro grande diagnóstico no setor público nacional sobre identificação, jornada e tratamento das doenças do sono, em especial à apneia do sono. Após terminarmos esta “fotografia” (que está em fase final de revisão), pretendemos desenvolver estudos que mostrem soluções eficientes que potencialmente possam ser aplicadas em todo o País, melhorando assim o acesso à população ao tratamento deste importante distúrbio de sono..

Principais sintomas da apneia do sono:

O ronco é o principal sintoma da apneia obstrutiva do sono. Além do ronco, um sintoma bastante frequente é a sonolência excessiva diurna.

Algumas condições que podem ser causadas ou agravadas pela apneia do sono:

– irritabilidade

– depressão

– ansiedade

– problemas de libido

– dificuldade de aprendizado

– problemas de memória ou concentração

– agravamento da asma

– síndrome metabólica

– diabetes

– hipertensão

– problemas no coração (como arritmias)

– doença cardiovascular, como infarto ou derrame

* o Projeto HERMES tem uma Curadoria Científica independente formada pelos Drs. Luciano Drager, Alan Eckeli e Daniela Pachito e conta com o suporte da ResMed para viabilização da coleta e das etapas propostas no estudo.