Sylvinho destaca atuação de Renato Augusto e fala sobre Luan

Renato Augusto foi o grande nome da vitória do Corinthians contra o Cuiabá por 3 x 2, neste sábado (13), na Neo Química Arena, pela 32º rodada do Brasileirão. Assim, atuando na sua posição de origem, o meia contribuiu com um gol e deu a assistência para o tento de Róger Guedes

Logo, o desempenho do camisa 8 foi elogiado pelo técnico Sylvinho, que vinha recebendo diversas críticas por parte da torcida e imprensa devido ao fato de escalar Renato Augusto como falso 9. 

“O time fez um grande jogo, poderíamos ter saído com um resultado mais tranquilo, mas não foi. Vários setores renderam bem. Renato fez uma grande partida no meio de campo. Talvez a melhor contra o Bragantino, Palmeiras também foi bem. Renato é um grande jogador e pode jogar na frente também. O meio de campo é a oriunda dele, onde ele se formou e jogou a maior parte da carreira”, disse o treinador. 

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook.

O 1º tempo do Corinthians foi de domínio, saindo a frente no placar com poucos minutos. Porém, o Timão sofreu o empate no último lance da primeira etapa. Assim, Sylvinho conversou com os atletas nos vestiários, inflamando o emocional do elenco. Na volta do intervalo, Renato Augusto decidiu com duas participações em gol.

“Esse é o desafio do futebol, a complexidade de tudo. Você vem lutando por uma vaga importante, em um cenário positivo e você vai sair contra um líder e as coisas não vão bem. Foram dois dias de trabalho muito forte, treinamento, sobretudo o treinamento conservador, tranquilo. Não tinha espaço para gastar energia. Conversa com grupo e com alguns atletas em particular “, continuou. 

“Fizemos um bom jogo, mas nos 15 minutos finais do primeiro tempo caímos. Tivemos que subir o tom no vestiário, e o momento era de se posicionar e segurar o 1 a 0. Tivemos um equívoco na leitura. Corremos mais, nos desgastamos mais e rendemos menos. Subimos o tom para recuperar energia para voltar para o segundo tempo. Já estamos trabalhando nesse sentido. A resposta no segundo tempo foi muito boa e eles mereceram a vitória”, finalizou Sylvinho. 

Por fim, o Corinthians atingiu os 50 pontos na tabela de classificação do Brasileirão, superando o Fortaleza que tropeçou na rodada, e chegando a 5ª colocação. O próximo compromisso do Alvinegro será na quarta-feira (19), diante do Flamengo, no Maracanã, pela 33ª rodada do torneio, às 21h30. É provável que Renato Augusto tenha sequência na sua posição centralizada no meio campo do Timão

Veja outros pontos da entrevista coletiva de Sylvinho:

Variações táticas

“O time tem várias formações que vamos tendo conhecimento de causa. Os atletas vão jogando… Óbvio que vocês cobrem outros times, mas para mim é mais fácil nos cinco meses de trabalho. Eu conheço a construção toda. O time se mexe, 16 jogadores são mais utilizados e as possibilidades nos últimos jogos se abre para todos”. 

Retorno de Luan

“O Luan é um atleta que eu sempre disse. Ele foi um titular como falso nove, o time lutando em décimo, oitavo, nono e a gente se sustentando. Externamente não era positivo e precisamos trabalhar. Em um momento o Luan perdeu essa vaga para o Jô, teve mais retenção de bola, fazendo o time progredir no campo adversário. O Luan vem trabalhando sempre bem, nossa relação é muito boa, olhamos olho no olho. Quando jogar vai jogar, mas como não vamos olhar no olho e ser leal”. 

“Damos as mesmas condições para todos e ele tem treinado muito bem, esperando sua oportunidade. Pode ser um falso 9, meio campo, e pode jogar pelo lado esquerdo, falso também. Porque ele tem muita qualidade, pela carreira e por tudo que conquistou. Tem dotes técnicos extraordinários. Entrou, estou feliz por ele, a força do grupo. Fiquei feliz pela entrada e o quanto ele ajudou, incorporando tudo que ele quer. Nos ajudou muito no final do jogo”.

no lugar de Renato Augusto

“Quanto um atleta potencializa outro você vai estudar. Tudo tem que trabalhar. Inspiração tem? Sim. Improvisação? Sim. Mas eu sou daquele que 80% é preventivo, de suor, transpiração. A gente vê que o Jô potencializa, virou titular. Teve alguns problemas e não pôde estar. Chegada de outros jogadores no levaram para outras condições. Em alguns momentos deu certo e em outros não, faz parte do conhecimento de causa. O Jô potencializa muito sim. Momento importante dele. Um atleta que conversando ele entendeu essa função de retenção, oxigenar o time. Ele não é mais de profundidade, apostar corrida e ele faz outra função. Ele aceitou e estamos felizes”.