Sylvinho reconhece atuação tímida, exalta vitória e foca na sequência do Brasileirão: “É um resultado muito importante”

Em suma, o técnico do CorinthiansSylvinho, reconheceu que o desempenho da sua equipe não foi dos melhores diante do Fluminense, mas valorizou a vitória por 1 x 0, nesta quarta-feira (13), contra os cariocas e ressaltou a importância do resultado, pensando na luta pelo G-4 do Brasileirão

“Esperávamos um jogo muito difícil. Montamos uma estratégia em cima disso. Não queríamos um jogo de transição. Queríamos tirar isso e manter a posse, jogando no campo deles. Em partes conseguimos, em outras, não. Mas é um resultado muito importante. Novamente no estádio e com o torcedor, fica claro que ele empurra e ajuda bastante. Traz uma atmosfera, um grande ambiente. O jogo é difícil, o campeonato é assim. Temos o entendimento que hoje fizemos todo o esforço e contamos com a ajuda do torcedor”, explicou Sylvinho

Na sequência, o técnico falou sobre a atuação do Corinthians contra o tricolor, e que o time acabou pecando nas tomadas de decisão durante as construções das jogadas.

“Não foi um dia dos mais inspirados na parte da construção, foi um jogo dividido até na posse. Nós tínhamos ideia da posse, ter amplitude, jogar com cruzamentos, e com o adversário na transição. Quero acreditar, sim, que no começo do jogo tínhamos condições de abrir o placar. Mas, de toda maneira, ganhamos e isso é muito importante”, encerrou o treinador. 

Lutando pelo G-4 no Brasileirão, grupo que garante vaga na fase de grupos da Libertadores, o Corinthians chegou aos 40 pontos, estando apenas um do RB Bragantino, 4º colocado. No entanto, Sylvinho adotou uma postura sem animosidade sobre o assunto. 

“É um campeonato difícil. Entendo que vai ficar cada vez mais disputado. Os jogos estão de um nível de competitividade muito alto, os objetivos começam a aparecer e os pontos precisam ser somados. Nós estamos trabalhando em construção de um grande clube com três pilares, que tenho repetido. Atletas que já venceram Libertadores e Mundial, atletas jovens que me fascinam e atletas que chegaram agora para qualificar o grupo. É um grupo em construção, muito bom, e nós estamos somando pontos. Feliz em estar em uma zona alta da tabela, mas temos que continuar construindo para buscar os pontos. Nós vamos jogo a jogo, como disse na minha chegada. Felizes com o trabalho até o momento, mas queremos seguir”, explicou Sylvinho

Para saber tudo do Corinthians, siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook. E inscreva-se no nosso YouTube!

Desse modo, o Corinthians tem clássico marcado contra o São Paulo, na próxima segunda-feira (18), às 20h, no Morumbi. Vale dizer, que o tricolor paulista chega para o confronto após demitir o técnico Hernan Crespo e anunciar horas depois, Rogério Ceni como substituto. 

“É um clássico muito bom, sempre muito atrativo, de rivalidade e qualidade técnica. É um jogo excelente e difícil. Vamos começar a construir esse jogo a partir de amanhã. A grandeza dos clubes é muito acima de qualquer atleta ou treinador. Tem isso de um treinador contra o outro… mas São Paulo e Corinthians estão acima. O jogo vai ser ali pelos atletas. Vamos trabalhar forte, mas os protagonistas são os atletas e as camisas. Vamos começar a trabalhar ele a partir de amanhã”, ressaltou Sylvinho

Veja outros trechos da coletiva de Sylvinho: 

Gabriel Pereira e Gustavo Silva

“Muitas vezes acabamos tendo uma cobrança por um atleta ser posicional. A troca já mostrou para nós que resulta em uma diferença no adversário, já que é uma outra postura. Você marca um atleta com o pé contrário e, de repente, ele está com o pé bom, como foi o caso do Gustavo. O Gustavo pela direita tem a bola de fundo e o cruzamento, que tem nos ajudado muito desde o começo do campeonato. Lado contrário, ele tem o cruzamento com o pé contrário. O GP pelo lado esquerdo fica mais tímido, é uma outra característica que ele empresta. Só que o lado contrário é o que ele mais gosta, e essa troca causa problemas para os adversários. Fizemos antes de sair o gol e, de repente, saiu”. 

Sylvinho fala sobre opcão sem centroavante 

“O jogo nos levou a uma situação como essa. Tínhamos os pontas fazendo o um contra um, e muitas vezes o adversário dobra a marcação, aí você tem que usar o lateral. Foram boas passagens do Fábio e do Fagner. Tendo ou não referência, você tem opções. O gol surgiu de um cruzamento. Os laterais estão livres para, quando o adversário estiver muito recuado e precisarmos de uma possibilidade, eles estão ali. São qualificados. E essa é a razão de alguns cruzamentos, talvez em exagero e vamos analisar. Muitas vezes um cruzamento pelo chão te dá gol. Já tivemos gols de Roni e Gabriel, que não são referências, a partir de cruzamentos”. 

Ataque manjado 

“Nós começamos muito bem o jogo. A atmosfera com o nosso torcedor é forte, e tivemos três ocasiões muito próximas. Ultrapassagem de Giuliano, um contra um no lado, mas do outro lado tem o adversário para criar problemas nessa parte de construção. Não foi um dia dos mais inspirados na parte da construção, foi um jogo dividido até na posse. Nós tínhamos ideia da posse, ter amplitude, jogar com cruzamentos, e com o adversário na transição. Quero acreditar, sim, que no começo do jogo tínhamos condições de abrir o placar. Mas, de toda maneira, ganhamos e isso é muito importante”. 

Vantagem de não sofrer gol 

“É uma vantagem não tomar gol. Se fala muito no futebol alegre, do primeiro homem, no caso o Cantillo, que potencializa parte do time. Mas todos eles têm que defender. Se tomar dois, três gols por jogo, a chance de ganhar é pequena. A complexidade do jogo é construir e defender, isso é futebol. Os atletas têm que ter o comprometimento defensivo, e buscamos isso nos últimos dias. Nos outros jogos trabalhamos em cima, mas o adversário também trabalha para fazer o gol. Mas quanto menos gol tomar e melhor estiver em campo, maior a chance de ganhar o jogo”.

Cássio 

“O Cássio é um atleta de um histórico extraordinário dentro do clube, uma referência. Como qualquer outro atleta, tem seus dias, pode ou não falhar. É titular e referência do clube. É daqueles que os olhos brilham em trabalhar por esse clube, por ele e pela história. Fez uma grande defesa no jogo. Era uma partida que não queríamos a transição, mas ali estava o Cássio. Ele tem muita vontade, desejo de continuar fazendo história no clube”.