Sylvinho valoriza a vitória, elogia paciência do Corinthians e fala sobre as críticas referente a Cantillo

O técnico Sylvinho valorizou a vitória do Corinthians diante do Fortaleza por 1 x 0, na tarde deste sábado (6), na Neo Química Arena, pelo Brasileirão. Assim, o Timão marcou o gol do triunfo com o volante colombiano Victor Cantillo.  

Na coletiva pós jogo, o treinador Alvinegro tratou de elogiar a importância do apoio que a Fiel oferece aos atletas. 

– (A paciência) É uma virtude que é difícil. Quando o gol não vem rápido… não que tenhamos buscado e tido cinco ou seis oportunidades de gol. Mas duas ou três tivemos, próximos, rondando, e ele não sai. À medida que ele não sai, tem que ter paciência. Apressar o jogo faz errar passe – disse. 

– A minha análise do primeiro tempo é que apressamos demais. À medida que não conseguíamos fazer o gol, começamos a apressar algumas jogadas. Começamos a ter erros. Não nos dava condição de ficar com a bola. No segundo tempo, a paciência começou a ocorrer. Foi uma grande virtude do time, as alterações foram bem feitas, potencializaram o time, mas a virtude é dos atletas, em campo. O estádio cheio nos ajudou muito – prosseguiu.

Para saber tudo sobre o Corinthians, siga o Esporte News Mundo no InstagramTwitter Facebook

No segundo tempo, Sylvinho fez algumas mudanças no time, promovendo as entras de Mosquito, Cantillo e Jô. O primeiro fez boas jogadas, enquanto os outros dois tiveram participação fundamental no gol. Ainda no final, Xavier também foi outro que entrou na partida. 

Sobre o colombiano, Sylvinho relembrou antigas cobranças que foram feitas a ele por parte de torcedores e imprensa. 

– Quando o coloquei, recebi muita crítica. Eu tiro, também recebo. Cantillo vem jogando num tripé de meio-campo desde a terceira rodada. Ficou fora um ou outro jogo, teve alguma pequena lesão, até certo momento em que o time vai encontrando corpo. E quando gente fala, não é só o setor de meio-campo analisado. Gabriel volta e dá conta. Cantillo fez ótimos jogos, foi muito bem contra Bragantino e Palmeiras. Depois, por outra situação, não só de meio-campo, mas de time, houve importância do Gabriel. E hoje mais uma vez Cantillo entrou e respondeu positivamente. É um dos titulares deste time – falou Sylvinho. 

– Futebol tem 14, 15 titulares. Assim como Gustavo (Mosquito) está fora alguns jogos, mas o Gustavo faz parte desde aquele primeiro jogo. Espero que Cantillo volte sim da seleção colombiana. Recentemente nasceu seu filho, Thiago, ele já postou isso, e deixou à vontade que se perguntassem, pudesse dizer, era uma semana que ele estava muito contente com o filho, a convocação. Que faça bons jogos e retorne – completou.

Vale dizer, que Cantillo foi convocado pela Colombia para as Eliminatórias da Copa, e vai desfalcar o Timão contra o Atlético-MG e Cuiabá. Renato Augusto de falso 9, foi outro tema levantado na coletiva. 

 – Eu tenho o entendimento, e muita gente com quem converso também, que o Renato pode fazer o falso 9, um tripé pelo lado esquerdo. São as características que o atleta empresta ao clube. Não vou negligenciar nenhuma. Eu coloco amanhã o Renato num time como atacante, ele faz dois gols, então ele serviu, agora valeu. Não acredito que seja só adaptação, é uma conexão inteira do time. O Renato empresta muita coisa, como os demais, cada um em seu talento. Enquanto enxergar possibilidades de potencializar o time dessa maneira, sim (pode usar). Não vamos fazer de colocar o Renato de lateral-esquerdo ou colocar o Giuliano de zagueiro. Vamos fazer como as coisas nos propiciam. Duas ou três funções que podem fazer. Quanto mais conhecermos o atleta, o clube, melhor. Temos cinco meses de trabalho. 

Com a vitória sobre o Leão do Pici, o Corinthians foi a 47 pontos, ficando mais próximo do G4. O próximo compromisso da equipe é na quarta-feira contra o líder Atlético-MG, no Mineirão, às 19h. 

Veja outros trechos da entrevista de Sylvinho: 

Renato Augusto 

– Renato é um atleta com versatilidade muito grande, que tem dado passes para frente. Alguns atletas no decorrer das carreiras vão atrasando um pouco na etapa do campo. O Renato tem condição de fazer o falso 9, com muita qualidade técnica. Pode jogar na meia, até de primeiro volante. Foi excepcional contra o Bragantino, é um jogador de muita qualidade. 

Padrão tático 

– Jogo de futebol tem 90 minutos. A intenção é tirar o melhor proveito. Do outro lado tem rival que pensa igual. As forças muitas vezes se equivalem dentro de campo. Não existe um jogo que você faz os 90 minutos melhores do que o adversário. São possibilidade enormes de jogo. Nós tentamos, mas do outro lado tem um time bem montado, de anos, que tem estado muito bem colocado na classificação. Atletas de muita qualidade técnica, física. Com o passar do tempo, vai abrindo o campo. Tem as linhas mais fechadas do outro lado, não consegue explorar, o adversário defende com oito jogadores atrás da linha da bola. Já no segundo tempo, o cansaço leva a defender com seis, sete, em alguns momentos de transição com quatro atletas, abre-se campo. Quando não consegue fazer o gol e administrar a partida, para escolher melhor as jogadas, tem que insistir, e isso ocorreu mais uma vez e fomos premiados como mais um segundo tempo muito bom. 

Próximos compromissos 

– A forma que a gente tem que trabalhar é buscando o melhor pro próximo jogo. Não dá tempo. Não é história. Não dá tempo. São poucos dias, vamos acordar amanhã pensando no próximo jogo. Adversário difícil, de muita qualidade, lá na frente na tabela. Não dá pra projetar os outros jogos. Dá pra ir jogo a jogo. Vamos depositar 100% das nossas forças no próximo jogo, contra o Atlético. 

Araos 

– Araos, como todos, é um assunto da diretoria. Não é minha área de atuação.