Técnico do Sub-20, Marcos Valadares projeta Copinha para o Atlético-MG e fala sobre promessas do clube

O Atlético-MG estreia neste domingo (02) na Copa São Paulo de Futebol Júnior, tradicional torneio sub-20 que marca o começo do calendário oficial de futebol no Brasil todos os anos.

Em fase final de preparação para a Copinha, conversamos com o treinador do sub-20 do Galinho, Marcos Valadares. No Galo desde o fim de 2019, o treinador vai disputar sua segunda Copa SP pelo time mineiro. Ele falou sobre a expectativa da disputa do torneio e como foi o ano de 2021 para o Galinho.

Temos uma equipe muito forte, competitiva, que sofreu mudanças no início dessa temporada. Nossa última equipe que foi campeã brasileira tinha jogadores de último ano e estouraram a idade. Também tivemos alguns jogadores que foram emprestados, como o Guilherme Santos e o Giovanni, que foram os artilheiros do time na temporada anterior. Outros jogadores também foram para o profissional. A equipe ao longo do ano foi crescendo, desenvolvendo e ganhando mais corpo. Tínhamos muitos jogadores que não jogaram em 2020 ano devido ao calendário mais curto por causa da pandemia. Nossa expectativa é chegar forte na Copa SP, sabemos que é uma competição muito difícil, ela tem um caráter físico e mental muito forte. Jogamos dia sim, dia não. Então quem estiver muito bem psicologicamente vai lutar para chegar nas finais e esperamos reproduzir esse contexto dentro da competição.

Em 2021, o Galinho disputou as três grandes competições de seu calendário. Na Copa do Brasil, foi eliminado para o Coritiba na 3ª fase. No Mineiro e no Brasileiro Sub-20, as eliminações foram na semifinal. Mesmo assim, a equipe de Marcos Valadares teve um aproveitamento de 62% na temporada.

A Copinha para os jogadores sub-20

Por ser o primeiro campeonato de futebol no ano e acontecer em um período em que os profissionais estão de férias ou em fase de pré temporada, a Copa São Paulo tem um apelo maior por parte da torcida. Muitos torcedores a utilizam como única oportunidade para ficar por dentro das categorias de base do seu time. 

A copinha é uma grande oportunidade para eles, mas, claro, são jogadores que vivem no clube. Estão sendo formados e construídos como jogadores do clube a longo prazo. O brasileiro sub-20 dá um embasamento muito bom para ver o nível em que os jogadores estão. Agora temos mais essa oportunidade com a Copa São Paulo. É um momento em que a mídia cobre muito a competição, já que o profissional ainda não está jogando. Mas, para mim, é um contexto geral. A Copa SP é um momento final principalmente para os jogadores no limite de idade. 

A questão da visibilidade é um fato. Mesmo o Brasileiro sub 20 sendo um campeonato para a formação de um atleta um pouco melhor, até pelo formato com 19 jogos. Ele prepara muito bem o atleta, mas o brasileiro acontece no meio de semana, em um horário que o torcedor está trabalhando. Então, pelo momento do ano, a torcida acompanha mais a Copa SP. Sabemos quem foi bem no Brasileiro e esperamos que isso se confirme na Copinha e que eles possam ter uma oportunidade no profissional – Completou o treinador.

+ Com Rubens e Felício, Atlético-MG divulga jogadores para a Copa São Paulo de Futebol Júnior; veja lista

+ Atlético-MG anuncia a contratação de Ademir, ex-América-MG

Experiência dos jogadores no profissional

Alguns jogadores como Felipe Felício e Luiz Filipe tiveram um período de treinos e jogos no profissional em 2021. Para Marcos, essa vivência que os jogadores tiveram com os craques do profissional atleticano é essencial para a formação de suas carreiras.

– A proximidade e vivência é icônico para eles. Eles vivem em um contexto do sub 20 diariamente. Quando vão ao profissional e convivem com atletas consagrados, como exemplos, vendo o atleta treinando e atuando serve como uma referência. Eles usam isso como exemplo e buscam se espelhar e quando retornam ao sub-20 passam isso aos seus companheiros. Acho que foi muito importante ao longo da temporada essa transição dos jogadores porque, dessa forma, eles acabam tendo essa experiência no profissional para que possam utilizar da melhor forma durante sua carreira.

Rubens e Guilherme Santos

Tratado como uma das jóias da base atleticana, o meia Rubens teve um 2021 de destaque. Principal artilheiro do time da categoria, foi um dos principais jogadores de todo o Brasileiro sub-20. Outro jogador que está na lista para a Copinha é o atacante Guilherme Santos. Artilheiro da base alvinegra em 2020, o atacante teve a oportunidade de ser emprestado para o profissional do Coimbra e Vitória em 2021. Agora, está de volta ao Galo para disputar a Copinha.

– […] É nítido pelos números que o Rubens foi um dos melhores jogadores do Campeonato Brasileiro. Seja como meia ou como volante, ele fez muitos gols e deu muitas assistências. Além da sua atuação defensiva. Talvez foi o melhor jogador da competição […] O Guilherme mereceu uma oportunidade no profissional. Primeiro no Coimbra, para disputar o Mineiro, depois no Vitória. Viveu essa situação no profissional e retorna ao clube. Vemos como uma boa oportunidade dele nos ajudar e desenvolver. Procuramos ajudar a todos os jogadores que tem potencial para que eles consigam dar continuidade nesse desenvolvimento.

Rubens atuando pelo profissional do Atlético-MG. FOTO: PEDRO SOUZA/ATLÉTICO

Investimentos na base do clube

Nos últimos anos o Atlético-MG vem passando por uma reformulação completa de seu setor de futebol. Desde o começo de 2020, o clube passou a receber investimentos dos chamados 4R’s e isso fez o time mudar de patamar no cenário do futebol sulamericano. Esses investimentos também refletem na categoria de base, que mudou um pouco sua metodologia e busca captar atletas um pouco mais novos para formar dentro do clube.

O Clube vê a categoria de base como investimento. O Atlético era um time que não tinha as categorias de iniciação (13,14) e agora vem investindo nisso. Acho importante que o atleta possa começar muito cedo no clube e cresça nesse contexto. Quanto mais cedo captarmos esses jogadores, mais resultado teremos lá na frente em termos de um processo mais completo de formação. No sub-20 temos mais chegadas pontuais, com jogadores que se destacam. Sabemos que um jogador em outro local sempre tem potencial e temos que estar atentos ao mercado para aproveitar esses jogadores que se destacam.

Campeão em outras três oportunidades (1975, 1976 e 1983) o Galinho vai em busca do seu quarto título. O time mineiro está no grupo 4 do torneio e enfrenta o Linense-SP, o Andirá-AC e o Desportivo Aliança-AL com quem faz sua estreia no domingo, dia 2 de Janeiro. Por fim, Marcos deixou um recado para a torcida alvinegra. 

– Iremos representar forte o Galo, com a marca maior que o time tem que é a raça. Acho isso fundamental para que uma equipe tenha resultados e faça uma boa campanha. Os jogadores estão com muita ambição de jogar um futebol de alto nível porque todos tem potencial e não estão no Galo à toa. Pode ter certeza que iremos com o pensamento de ser uma equipe muito competitiva e que a gente represente mais uma vez a torcida e essa camisa grandiosa.

Para ficar informado sobre tudo acontece com o Atlético-MG, siga o Esporte News Mundo no TwitterFacebook e Instagram.